Somos Consumidonas/empreendedonas mulheres e nunca imitamos Homens!

Dnas,

Faz um tempo que quero falar de algo bem complicado.

Algo que dói e que nos machucada na pele,  que as vezes podemos nós mesmas estar fazendo e repetidamente, inclusive. Algo que nos foi ensinado e que não deveríamos ter aprendido e temos que lidar:

Sermos macho, sermos homens para ter respeito e “botar o pau na mesa”, sermos agressivas, sermos insensíveis e nada gentis…parecermos interesseiras e não se importar em dar retorno, pedirmos e não se preocupar em retribuir com a devida reciprocidade.

Não sermos leais e honestas de fato umas com as outras, usarmos o “desculpe, estou bem ocupada” para explicar nosso desinteresse ou falta de gentileza, menos para pedir favor, pedir ajuda…mas não ter tempo de retribuir, de responder ou se por no lugar da coleguinha.

Consumidonas/empreendedonas não deveriam achar que precisam ser mulheres que imitam Homens de negócios antigos (e ruins)?

* Homens “antigos”?–> aqueles não admiráveis que só pensavam em ser fodão, o que ganhava mais, gritava mais, era o mais ocupado e sem tempo para ser humano!? Não retornava as ligações ou mandava a secretaria… enfim, era o IDIOTA ARROGANTE que ninguem confiava. Eram os famosos “homens de negocios” frios, objetivamente agressivos, egoístas e nada empáticos de antigamente, àqueles que vendiam o que queriam para quem queriam, que não se envolviam ou ajudavam na evolução da área que atuavam, ou de parceiros e clientes, ou seja não eram  admiráveis.;)

Deveríamos sim nos desconstruir o mais rápido possível!

Nos permitindo e trabalharmos para sermos profissionais, empreendedonas/consumidonas, líderes com atitudes de MULHERES e sermos nós mesmas com nossa essência empatica, gentil e ética.

Falei que seria dolorido…:(

Por que este tema Dna Fernanda?

Porque tanto em conversas com amigas, parceiros e na Web ou em eventos públicos e palestras, ele tem sido recorrente. Tenho visto como muitas mulheres estão, muitas vezes, tristes e perdidas também, como estamos nos sentindo presas à padrões que não nos representam, não nos ajudam em nada!

Ou pior, como estamos adormecidas repetindo estas atitudes sem notar, nós contra nós.

Eu mesma tenho sentido na pele nos últimos meses, como esta antiga ” escola do mulheres sejam mais como os Homens antigos”, tenham atitudes como eles e não como vocês poderiam… Acabou produzindo enganos e atitudes desastrosas em nosso dia-a-dia, para nós mesmas em todos os relacionamentos em nossas carreiras e também em nossos próprios negócios.

 

O feminismo não é para os homens, é antes de mais nada PARA NÖS MESMAS! Não podemos ser superficiais e cobram que eles mudem, que a sociedade mude, se nós não mudamos conosco primeiro?? Não é um movimento de fora para dentro, é de dentro e de fora.

 

A falta de parceria ou empatia de mulheres com mulheres no mercado, e até mesmo uma sensação de que para crescer pode-se passar por cima de todos, incluindo-se aqui principalmente passar por cima de uma outra mulher, que poderia até ser sua grande parceira, está muito presente no dia a dia e está nos SEGURANDO !!É lamentável ver como imitamos a frieza masculina, a falta de gentileza.

Deixamos de crescer, de evoluir, de nos encontrar. E o pior, de sermos nós interessantes e nossos projetos interessados e portanto mais interessantes, para todos, EXATAMENTE por isto!

Tenho visto e ouvido muito de empreendedoras e de profissionais corporativas:

  • Não consigo fazer networking com mulheres, parece que estou sendo julgada;
  • Não tenho tido sorte com parceiras mulheres, acho que as mulheres não querem se ajudar, elas pedem mas não oferecem, me sinto usada;
  • Não preciso ser legal só porque é mulher, tenho que ser objetiva e direta como um homem, isto é ser profissional;
  • Temos que ser mais como homens, se servir muito que bem se não partimos para outra;
  • Para eu chegar até aqui eu abri mão de muita coisa, e não precisei de ninguém;
  • Espertas são as que aprenderam a copiar os melhores, mesmo que seja um pouco desleal;
  • Negócios e amizade não combinam, não estamos aqui para fazer caridade ou sermos boazinhas, estamos para ter sucesso e nada de emoções;
  • Faça com que seu nome brilhe mais que todos por onde passar, esta será sua melhor estratégia, estar sempre no foco das atenções, estar em evidencia e esquecer o time;
  • Faça tudo sozinha e evite contar com os outros, o mérito será só seu e o sucesso também;
  • Não existe honestidade, sinceridade e lealdade nos negócios, você tem que ser como “eles”;
  • Basta se impor, não seja mole ou legal demais com as pessoas e será respeitada como um homem;
  • Tem que por o P… na mesa e mostrar que não é bobinha, se necessário finja e use uma máscara;
  • Mulheres são invejosas, não querem correr riscos e sempre pedem ajuda para tudo;
  • E a pior: eu prefiro trabalhar com homens, sou como eles, odeio mimimi e carência.

Estes exemplos são o suficientes, não? Quem nunca falou ou ouviu isto de mulheres?

Eu posso dar meu testemunho com um pouco de vergonha, fui por muitos anos uma executiva de Marketing e Vendas, que bradava aos 4 ventos que adorava trabalhar com homens, por que eu de fato era a única ou uma das únicas  mulheres na liderança e no cargo, só tinha pares homens, fornecedores homens, a maioria dos clientes homens…vivia rodeada deles.

MASS olhem como meu instinto já gritava: construía minha equipe sempre comportando quase que só mulheres, tinha preferência DESCARADA para contratação de mulheres e até o RH já sabia disto.

Oras, estava em uma área muito delicada (saúde) e precisava de seres empáticos e comprometidos 24 horas por dia se necessário. Não tínhamos horário de entrada e nem de saída, afinal alguém poderia precisar de um material/equipamento em horas ruins em algum Hospital no Brasil, tínhamos que nos virar para fazer este material/equipamento chegar em tempo de ajudar na cura ou salvar uma vida. E tinhamos que bater metas assim.

Então eu preferia mulheres para me ajudarem em todas as áreas da divisão, vendas, marketing, produtos e etc…E não errei! Saímos de quase ultimo lugar em vendas para o 1/2º lugar em menos de 4 anos, ganhamos prêmios, fomos reconhecidas pela Matriz Japão e por USA, fui convidada a mostrar no Japão como tínhamos conquistado o mercado tão rapidamente e de forma tão leal no Brasil.

E claro, concorrentes temiam nossa equipe Feminina…éramos a única com tantas mulheres… chamavam de “as meninas”.rs

Mas esta agressividade masculina me trouxe problemas, eu me vi presa em um rótulo: a durona! A brava, a gerente osso duro e por aí vai e achava que este era o caminho mesmo, afinal fui ensinada assim! 🙁

Dnas, olhem bem para nossos ensinamentos? Nas últimas décadas nos ensinaram em casa, na rua, em cursos, Universidades e principalmente no trabalho, que se quiséssemos vencer não podíamos ser tão mulheres, femininamente empáticas? Sensíveis? Gentis? Parceiras? Nem pensar….:(

Querem crescer? Querem vencer? Basta agir como os homens, até na roupa.

Não foi assim que nos disseram? Por acharem que os relacionamentos no mundo comercial/vendas, atendimento, comunicação, parcerias, ajudas ou alianças deveria ser como homens faziam: agressivos, egoístas até, funcionais e o mais impessoal possível!

Mas Eu aprendi minha lição e lutei contra isto nos últimos anos e digo para todos que sou muito mais feliz hoje, mais realizada e vejam: MAIS EU…, deixando meu lado feminino trabalhar e usando ele de forma estratégica, interessada e HUMANA. E claro, sem deixar de ser perspicaz,  produtiva e direta ao ponto, agressivamente feminina, não Dnas? rs 😉

Por isto digo, se vocês analisarem o agora e perceberem que estão trilhando o caminho acima, do ser mais o Homem “antigo” sendo agressivas sem colocar a empatia em primeiro lugar:  PAREM JÁ COM ISTO!

Para o bem de vocês mesmas e de seus negócios e carreira, aliás para o bem de todos ao redor.

Existe um meio termo e ele é exatamente o que os livros não ensinam, as escolas esqueceram ou nunca souberam, o mercado teima em não ver, mas o mundo e a nova geração estão caminhando para COBRAR!

  • SIM, ser Mulher é um diferencial neste mercado carente, frio e perdido
  • Usar seu lado feminino SIM é muito estratégico sempre
  • Ser mais honesta e empática em relacionamentos SIM te trará sucesso rápido
  • Se policie sempre para NÃO agir como Homens “antigos”! Não precisamos mais disso 

Mas sem deixar de ser objetivas e funcionais, imagina!

Já impessoal é ultrapassado demais, né?rs

Mas agressivas, de forma masculinizada? Não, porque isto é  facilmente identificado com frieza, que não faz bem a ninguém e a nenhum relacionamento, no mundo atual, seja ele em negócios diretos ou indiretos.

O mundo mudou e temos que mudar junto! A nova geração de consumidoras  -Millennials e Z- não estão mais pensando desta forma, eles estão quebrando estes paradigmas e não devemos influenciá-los para algo ruim, certo? Ou pior, perder a confiança deles ou ainda não conseguirmos nos comunicar com eles ?

Querem ver um exemplo prático disto?

Reuniões, encontros para Networking, eventos etc, como funcionam no antigo agressivo masculinizado:

Alguém: Rapidamente se apresenta, diz tudo o que fez, faz e poderá fazer, sorri e te entrega um cartão! “SE” Vendeu  pra ti e já vai em direção a outro target/presa.

Você: Perguntou algo? Cadê o interesse real em mim e em meu projeto? Qual é a sensação que fica? Vazio.

Falta de interesse é morte súbita, algo que costumamos questionar em nossos relacionamentos com homens…rs certo? Por mais que tenham homens muito interessados o mais comumente visto é serem bem mais auto-centrados que nós mulheres, e este foi o caminho do mundão dos negócios até aqui, e foi bem desastroso na maior parte dele.

Qual seria o jeito feminino de fazer a mesma coisa, então?

Você: Se apresenta com calma, pergunta, mostra interesse, enxerga a sinergia com a pessoa e com o que ela faz, analisa se podem se ajudar e serem parceiras, uma conversa bacana… PEDE O CARTÃO da outra pessoa primeiro e então gentilmente oferece o seu e de quebra podem já marcar um café.

Coleguinha: Neste caso qual a sensação que ficou? Foi mais interessante, mais confiável? 😉

Outro exemplo terrível, que aliás eu tenho passado nos últimos meses e confesso tem me feito infeliz:

Coleguinha:  Se aproxima, conversam, você se interessa, propõe parceria, afinal claro que vocês podem se ajudar, o mercado é para todos etc… poderá sair algo de muito bom nisto, e ao menos a sensação de: puxa não estou só! Já é animadora… não é?Aí a colega pede sua ajuda, vc dá e… ela te esquece, ou ainda copia algo seu ou tenta passar por cima de ti em outros parceiros etc.. isto se lhe responder os emails.

Você bate a mão na cara e pensa: Sério coleguinha, assim não dá para te defender? No mínimo isto é desastroso do ponto de vista negócios e mercado e anda fica feio como profissional, não existe desculpas ao passar por cima de valores ou de seres parceiros, a confiança e a possibilidade correm embora…

Mas as mais estabilizadas ou famosinhos do mercado, o inverso também é verdadeiro:

Você vai atrás de uma colega que te inspira, que está trilhando um caminho super bacana e vocês podem se ajudar de alguma forma, fazer alguma parceria/aliança e obviamente fazerem com que o mercado cresça mais rápido e para todos até!

E a coleguinha não lhe oferece a menor atenção, não se interessa e ignora. Nem mesmo a educação fala mais alto. Não dá nem o dedinho mindinho, quem dirá a mão…rs

Muito triste! E nada, absolutamente nada estratégico…ninguém sabe o dia de amanhã em marketing e negócios principalmente, já vi tantos projetos geniais naufragarem por falta de vendedores, e projetos não tão brilhantes virarem Must Have , só por simpatia e muita sola de sapato com pessoas interessadas.

A questão é: Por que raios nós mulheres resolvemos agir assim, uma imitação do pior? Por que se igualar ao lado “antigo ruim” do masculino?

Vamos quebrar estes paradigmas? Vamos analisar se vale a pena esta bagunça insensível toda?

Homens produziram tanta coisa boa, são protagonistas em áreas tão importantes, tiveram tanta ousadia e rebeldia em tantos momentos históricos… se for para copiar, copiaremos o lado bom e não o ruim, certo?

Nós mais do que qualquer um sabemos que Não podemos ir a lugar algum sozinhas, não precisamos e não é sábio de qualquer forma. Nós mulheres brigamos tanto até hoje pela igualdade e pela empatia!

Se colocar no lugar do outro é essencial, estratégico e é produtivo, alias,  no mundo atual é sobrevivência!

Ter empatia, sensibilidade, ter instintos de segurança e de suporte e apoio aguçados é EXCELENTE em marketing e negócios, em vendas e no comércio! Não neguem estas características de suas personalidades, não prefiram ser agressivas demais e impessoais, estes 2 não são Tão importantes mais!

Saber onde querem chegar, lutar, estudar, suar a camisa e vencer é lindo…. mas é apenas vencer, é solitário! Já fazer tudo isto e ir com mais parceiros, conquistar junto, se ajudando e sendo empáticas é TRIUNFAR, e isto é genialmente mais sustentável, mais estratégico e humano, além de ser de longa duração…rs.

Precisamos parar de ter medo de sermos a melhor versão de nós mesmas e para isto desconstruirmos os montes de ensinamentos machistas e sexistas ultrapassados e desinteressantes que nos fizeram fugir de nós mesmas e muitas vezes nos tornarmos desinteressadas nos outros e para o mercado como um todo!

Nossas características são únicas e essenciais na era atual, que olhem só Dnas: é a era do Relacionamento. Exatamente por isto estaremos muito no caminho certo, voltando para nossa essência só teremos a ganhar!

E ela, a era do relacionamento, não existiria sem nós, mas precisamos matar estes paradigmas e começar a discutir estas atitudes ou falta delas o quanto antes, para aprendermos e propagarmos o sucesso certo!

Nos unindo e nos ajudando, vamos muito mais longe e este é o NOVO AGRESSIVO! Não passamos por cima, carregamos juntas e seguimos mudando o que precisa ser mudado..garanto que é bem mais difícil rs.

Afinal Dnas…

 “é junto dos bão que ficamos mió”  já dizia o poeta Guimarães Rosa.

Me despeço dizendo só mais 2 coisas:

1- Este texto não é mera ficção, ele esta acontecendo neste momento em muitos lugares..rs e não é portanto meramente pessoal! Ele é fruto de muitas conversas e “enxergamentos”meus e de meus/minhas parceiras, e se você esta passando por isto agora, saiba: não esta só! E estamos nos unindo 🙂

2- Voces podem contar comigo para o que estiverem precisando como empreendedonas tambem, sempre poderão enviar suas duvidas e comentários para cá ou por msg, nossa casa está aqui para todxs as consumidonas e empreendedonas, Co-criamos e vi-vemos juntxs rs.

Seguimos unidas e desconstruindo, Dnas! 😉

Dna Fernanda aqui, muitas Dnas aí, fazendo Sucesso com agressividade feminina rs: vamos todxs juntas?! 🙂

Deixe sua opinião!

Score

User Rating: 3.7 ( 1 votes)

Sobre Fernanda Celina

1@ Consumidona e empreendedona, mente feminina por trás desta casa, outra ex chefe de Mkt e negócios durona e workaholic de alguma Multi, que preferia contratar mulheres e que ama pensar e usar ferramentas!
Gateira e feminista, rebelde, leitora voraz, costureira, questionadora e cheia de “creres”: creio em serumaninhos e não em generos e em um Mundo e Marketing mais honesto e inclusiva-Mente Feminino, que produza mais verdade e menos prejuízos, principalmente emocionais!!! Com estratégias mais sustentaveis para todos e confiaveis para as consumidonas de TUDO: Mulheres e Mentes femininas, nascidas com um X ou com 2 XX.
Creio mais ainda na força da economia criativa e colaborativa, para que TODXS nós nos juntemos e trabalhemos na aceleração de nossa revolução no mercado, e na industria da MODA principalmente. O temido poder econômico sempre esteve em NOSSA$ Mão$ e bol$os, vamos usar-lo?? Nós, mercado/empresas podemos nos ajudar e ganhar todos!
Empoderar dando consciencia e informações as consumidonas e empreendedonas é a meta..depois sentamos para um café e conversas…s2 ;) borá ganhar todas juntxs, queridonas?:)

Veja também

Abusos. Aceitamos ou NÃO Donas!

Queridonas, bem vidas ao nosso Manifesto do Blog: Atenção spoiler—>assunto dolorido e URGENTE em Abusos contra …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *